Notícias do TST

null Novembro Azul: TST se ilumina em prol da campanha mundial de combate ao câncer de próstata

É o tipo mais comum entre os homens, sendo a causa da morte de 28,6% dos que desenvolvem neoplasias malignas

30/11/2022 - O Tribunal Superior do Trabalho (TST) ficará iluminado nas noites de novembro com a cor azul, chamando atenção para a prevenção ao câncer de próstata. O movimento mundial, comemorado desde 2012 no Brasil, conscientiza o público masculino a respeito da doença, uma importante causa de morte entre os homens. 

O dia 17 de novembro é o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata. Essa campanha visa também quebrar tabus, uma vez que o câncer de próstata, às vezes, é tratado com preconceito pelos homens, principalmente em razão da realização do exame clínico (toque retal). Por isso, alguns não procuram o urologista, fazendo com que o diagnóstico seja realizado tardiamente.

No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, e cerca de 16 mil morreram em decorrência do câncer de próstata em 2019, segundo levantamento do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Além disso, esse tipo de câncer é o mais comum entre os homens, sendo a causa da morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas.

Próstata

A próstata é uma glândula do corpo masculino que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão pequeno, tem a forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto (parte final do intestino grosso). 

Câncer

Segundo o Inca, a fase inicial do câncer de próstata pode ser bem silenciosa, sem aparentar algum tipo de mal-estar. No entanto, com o desenvolvimento da doença, os sintomas mais frequentes variam da dificuldade de urinar e/ou necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite até a dor óssea. Os estados mais graves podem apresentar uma infecção generalizada ou insuficiência renal.

Prevenção

Os exames que auxiliam na detecção do câncer de próstata são o toque retal e o exame de sangue, que avalia a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). O PSA é solicitado, anualmente, a partir dos 40 anos, para acompanhar as alterações específicas da próstata. O resultado, quando gera alerta, pode indicar situações como inflamações, infecções, hiperplasia (crescimento benigno) e também o surgimento do câncer de próstata.

O toque retal e a dosagem do PSA servem para indicar a necessidade da biópsia da próstata (retirada e análise de fragmentos da glândula, única forma de confirmar uma suspeita de câncer). A realização de exames é recomendada quando há presença de sinais e sintomas, conforme preconiza o Ministério da Saúde.

Causas

A genética familiar e o avanço da idade são fatores de risco. A idade é um fator de risco importante, uma vez que tanto a incidência quanto a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos. Hábitos alimentares e o excesso de gordura corporal também podem ser fatores preponderantes para o agravamento dos casos de câncer de próstata, além da exposição a alguns tipos de poluição, como o contato com produtos de petróleo, gases de combustão, fuligem e dioxinas e outras substâncias. 

(Nathália Valente/GS)

Média (0 Votos)

Rodapé - Responsabilidade - SECOM


Conteúdo de Responsabilidade da
SECOM - Secretaria de Comunicação
Email: secom@tst.jus.br
Telefone: (61) 3043-4907