MINISTRO

RIDER NOGUEIRA DE BRITO

"A atividade correicional tem o fim específico e principal de ensinar, de fazer com que as instituições (os Tribunais, as Varas do Trabalho) funcionem adequadamente, como devem funcionar todas as instituições. Ela não tem, nem deve ter, nenhum intuito disciplinar, 'policialesco'. Ao contrário, é o intuito de ensinar, de orientar, partindo do pressuposto de que quem está exercendo o cargo de Corregedor-Geral é um colega magistrado, apenas mais experiente.
O primeiro problema que existe na Justiça do Trabalho, que já existia e continua existindo, é, vamos dizer, o 'tamanho' da Justiça do Trabalho. É, também, o tamanho do nosso país, porque nós temos vários 'Brasis'. Então, é muito interessante esta atuação da Corregedoria, porque não só ele [o Corregedor-Geral] ensina, mas ele também aprende.
O aspecto mais importante da função corregedora é esta: o de orientação, o de ensino. Tudo visando ao quê? Visando ao bom funcionamento das instituições, porque isso é absolutamente fundamental."

 

Vídeo
 
Transcrição