Publicador de conteúdo Publicador de conteúdo

Retornar para página inteira

Aeroportuários decidem segunda-feira se encerram greve



Na tentativa de encerrar a greve dos aeroportuários, a Infraero propôs, na audiência de conciliação desta quinta-feira (8) no Tribunal Superior do Trabalho (TST), a antecipação do aumento real de salário de 1% para setembro deste ano e um novo aumento real de 1,5% para setembro de 2014, além da correção salarial pelo IPCA.

 
O sindicato dos empregados se comprometeu a apresentar a proposta às assembleias dos trabalhadores na próxima segunda-feira (12) pela manhã e, dependendo da receptividade, o acordo coletivo de trabalho do setor poderá ser assinado na terça-feira (13) ou quarta-feira (14) no TST. A estatal concordou em abonar os cinco dias de greve dos trabalhadores, ou seja, os dias parados não serão descontados nem compensados.
 
Na audiência de conciliação anterior, realizada na terça-feira (6), constatando as diferenças dos pedidos – os trabalhadores reivindicavam um ganho real de 9,5% e a empresa admitia apenas a correção salarial pela inflação oficial – o vice-presidente do TST, ministro Antônio José de Barros Levenhagen, sugeriu um aumento real de salários de 3%. Mas a empresa alegou na reunião desta quinta-feira que não poderia ir além de um aumento real de 1% em janeiro de 2014 e mais 1% real em janeiro de 2015. Os trabalhadores não aceitaram a proposta. A empresa, então, antecipou em um mês o reajuste real de 1%, de janeiro de 2014 para dezembro deste ano, e outro,  de 1,5%, de janeiro de 2015 para dezembro de 2014.
 
A antecipação dos reajustes tampouco agradou os trabalhadores. Diante da situação, a Infraero sugeriu que os dois aumentos reais de salário, de 1% e de 1,5% sejam pagos em setembro deste ano e setembro de 2014, respectivamente. Os sindicatos dos empregados se comprometeram a discutir a proposta em assembleias convocadas para a próxima segunda-feira. A estatal aceitou corrigir os salários de três categorias técnicas (analistas de sistema, médicos do trabalho e pessoal de engenharia e manutenção), que estão comprovadamente defasados, a partir de janeiro de 2014. O piso salarial dessas funções também será corrigido.
 
Uma comissão formada por trabalhadores e por funcionários indicados pela diretoria da empresa discutirá, a partir de setembro deste ano, soluções de sustentabilidade dos planos de saúde e odontológico e também do Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS). O acordo prevê, ainda, a concessão suplementar de um total de 25 vales-alimentação, fornecidos um mês após a assinatura do acordo coletivo, 25 vales em dezembro deste ano, 25 em maio de 2014 e 25 em dezembro de 2014. 
(Aldo Renato Soares)
 
Inscrição no Canal Youtube do TST