Publicador de conteúdo Publicador de conteúdo

Retornar para página inteira

TST é finalista em quatro categorias do Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça



O Tribunal Superior do Trabalho é finalista em quatro categorias do Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça, que será anunciado na próxima sexta-feira (28) no encerramento do Congresso Brasileiro dos Assessores de Comunicação da Justiça (Conbrascom), em Maceió (AL). No total, cinco projetos desenvolvidos pela Secretaria de Comunicação Social (Secom) foram classificados entre os três finalistas para concorrer à premiação.

A edição de 2017 alcançou o recorde de 271 trabalhos inscritos. O prêmio reconhece os melhores trabalhos realizados pelas assessorias de comunicação de todos os órgãos ligados à Justiça do país. Ao todo, são 14 categorias. A comissão julgadora é formada por 27 profissionais de diferentes áreas da Comunicação e de diversas regiões do Brasil.

Rádio

O Programa Trabalho e Justiça, produzido pela Coordenadoria de Rádio e TV do TST, é finalista na categoria Radiofônica e concorreu com 15 outros projetos antes da classificação. No ar de segunda a sexta-feira na Rádio Justiça, o programa informa sobre as principais notícias do Tribunal Superior do Trabalho e dos 24 Tribunais Regionais do Trabalho e trata, em quadros especiais, dos direitos e deveres de patrões e empregados e de tudo o que acontece no universo trabalhista.

Publicação especial

O livro “70 anos de Justiça Social”, coordenado pela Secom em comemoração aos 70 anos do TST, disputa o prêmio na categoria Publicação Especial. A edição eterniza a trajetória do Tribunal com histórias, lições e memórias e traz relatos de fatos e de personalidades ligados às conquistas dos trabalhadores ao longo da história. O projeto disputou com outros 18 trabalhos antes de ser selecionado entre os finalistas.

Programa de TV

Na categoria Programa de TV, concorre ao Prêmio o Programa Jornada, revista eletrônica criada em parceria com os 24 TRTs que enfatiza projetos, decisões, atividades culturais e artísticas da Justiça do Trabalho. Vencedor na edição passada, o programa concorreu com outros sete projetos inscritos. Em 2016, o programa criou novos quadros e investiu em reportagens especiais com temas sociais, sob a ótica trabalhista. O programa é exibido pela TV Justiça nas segundas-feiras às 19h30min. Todas as edições também ficam disponíveis no canal do Youtube do TST e do CSJT.

Reportagem de TV

Na categoria Reportagem de TV, dois projetos concorrem ao prêmio. O primeiro envolve a condenação de uma rede de exploração de crianças e adolescentes por dano moral coletivo. A reportagem mostra flagrantes da exploração sexual de menores, a repercussão do caso de polícia na Justiça trabalhista e o reconhecimento da exploração sexual como uma das piores formas de trabalho infantil, em decisão inédita do TST.

Outro projeto finalista é a reportagem sobre os impactos de tragédias ambientais na vida de trabalhadores, que relembra alguns dos principais desastres ambientais no Brasil causados por indústrias.

CSJT também concorre

Pela primeira vez, o Conselho Superior da Justiça do Trabalho é finalista do Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça na categoria Mídia Digital, com a campanha “Direito do Trabalho no universo de Game of Thrones”, série especial desenvolvida para o Facebook que desmistifica questões trabalhistas aproveitando o sucesso da série norte-americana. O trabalho foi desenvolvido pela Divisão de Comunicação Social do CSJT.

Conbrascom

O Congresso Brasileiro dos Assessores de Comunicação da Justiça (Conbrascom), realizado anualmente, conta com debates, painéis e conferências com o objetivo estimular o desenvolvimento de uma política de comunicação voltada para o esclarecimento do cidadão e contribuir para a democratização das instituições e o acesso à Justiça.

O encontro é promovido pelo Fórum Nacional de Comunicação e Justiça (FNCJ), instituição de direito privado, sem fins lucrativos, que tem o objetivo de ampliar o debate sobre a comunicação nos órgãos que integram o Sistema de Justiça, envolvendo juízes, procuradores, promotores, jornalistas, publicitários, organizações governamentais e não-governamentais, além da sociedade civil organizada. 

Inscrição no Canal Youtube do TST