Publicador de conteúdo Publicador de conteúdo

Retornar para página inteira

TST é pioneiro na Política de Gestão de Riscos para áreas administrativas



(Ter, 11 Ago 2015 07:43:00)

O Tribunal Superior do Trabalho é o primeiro, dentre os tribunais superiores brasileiros, a instituir Política de Gestão de Riscos para suas unidades administrativas. Esse gerenciamento estabelece um método para identificar os ricos e as oportunidades relacionados à atividade da organização e possibilita a redução de erros nos processos de trabalho.

A gestão de riscos no TST abrangerá as áreas de orçamento e finanças, tecnologia da informação, aquisições, comunicação, gestão de processos e de pessoas.

As unidades administrativas participarão de cursos para entender a política e adquirir conhecimentos práticos para o gerenciamento de riscos em seus programas, projetos, atividades e ações. O primeiro treinamento ocorrerá em outubro, e terá como público os dirigentes e os servidores da Secretaria de Tecnologia da Informação (SETIN) e da Secretaria de Administração (SEA).

Tipos de riscos

Os riscos que serão monitorados no TST se subdividem em quatro categorias: estratégicos, operacionais, de comunicação e de conformidade.

Os estratégicos podem afetar os objetivos da organização. Os operacionais implicam a perda de produtividade e a ineficiência orçamentária, por falhas em processos de trabalho internos ou dos fornecedores. Os riscos de comunicação são os que prejudicam inclusive a prestação de contas ao governo e à sociedade. E os de conformidade estão relacionados ao não cumprimento de normas constitucionais, legais e administrativas.

A Política de Gestão de Riscos está alinhada ao Plano Estratégico do Tribunal para o período de 2015 a 2020. O gerenciamento feito pelas unidades será permanente.   

(Guilherme Santos/CF)

Esta matéria tem caráter informativo, sem cunho oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Secretaria de Comunicação Social
Tribunal Superior do Trabalho
Tel. (61) 3043-4907
imprensa@tst.jus.br
Inscrição no Canal Youtube do TST